Memória e sentimento nas notas de falecimento da Revista Adventista no contexto da pandemia de Covid-19
Acesso Restrito PDF

Palavras-chave

pandemia
obituários
memória
adventismo

Como Citar

Tonete Marcelino, M. A., & Macedo de Novaes, A. (2023). Memória e sentimento nas notas de falecimento da Revista Adventista no contexto da pandemia de Covid-19. Lifestyle Journal, 10(00), e1549. https://doi.org/10.19141/2237-3756.lifestyle.v10.n00.pe1549

Resumo

 Propósito: Este trabalho busca descrever como a pandemia de Covid-19 esteve presente nas narrativas fúnebres publicadas pela Revista Adventista (periódico centenário de circulação nacional) durante a crise sanitária, influenciando na constituição dessas memórias.

Método: O estudo se desenvolveu a partir da análise documental das notas de falecimento publicadas na seção Memória, espaço tradicionalmente dedicado aos obituários. Foram selecionadas apenas as notas de falecimento que mencionavam a Covid-19 como causa mortis. Sendo assim, das 376 divulgadas no período de junho de 2020 a setembro de 2021, 124 se enquadraram nesse critério.  

Resultados: Foi possível perceber que a crise sanitária contribuiu para a ampliação da tradição de publicar obituários. Além de aumentar o número de páginas reservado às notas de falecimento, a revista criou um memorial on-line dedicado exclusivamente à memória das vítimas da pandemia. Isso permitiu que as famílias enlutadas pudessem prestar sua homenagem e gravar as memórias de seus entes queridos num contexto de negação do direito ao luto, restrições aos rituais fúnebres e sepultamentos rápidos.

Conclusão: O cenário pandêmico parece ter influenciado na constituição das memórias em si, considerando o fato de algumas dessas narrativas obituárias terem destacado atitudes positivas dessas pessoas apesar do cenário caótico. Além disso, a publicação das notas de falecimento das vítimas da pandemia parece ter assumido também o sentido de registro do que foi a própria crise sanitária e seu impacto no adventismo.

https://doi.org/10.19141/2237-3756.lifestyle.v10.n00.pe1549
Acesso Restrito PDF

Referências

ANDREASEN, Niels-Erick. Morte: origem, natureza e erradicação. In: Tratado de Teologia: Adventista do Sétimo Dia. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, 2011, p. 353-389.

ARIÈS, Philippe. O homem diante da morte. São Paulo: Editora Unesp, 2014.

BALDINI, Lauro José Siqueira; NASCIMENTO, Elisa Mara do. “Esse verso é um pouquinho de uma vida inteira...”: os inumeráveis e a morte inominável. Revista

Linguasagem, São Carlos, v. 37, Número Temático, p. 67-90, janeiro, 2021.

CAMPOS, Leonildo Silveira. Protestantes brasileiros diante da morte e do luto:

observações sobre rituais mortuários. REVER, ano 16, n. 3, set/dez, 2016. Disponível em: https://revistas.pucsp.br/index.php/rever/article/view/31185. Acesso: 7 de out. 2021.

CANDAU, Joël. Antropologia da memória. Lisboa: Instituto Piaget, 2013.

FOWLER, Bridget. The Obituary as Collective Memory. New York: Routledge, 2007.

LUCHETTI, Krishna. “Os conscios mais operosos e estimados no seio de nossa corporação”: os elogios fúnebres na revista do IHGRN (1906 e 1926). Revista Práxis Pedagógica, v. 5, n. 9, 2017. Disponível em: https://periodicos.piodecimo.edu.br/online/index.php/praxis/article/view/378. Acesso: 14 de out. 2021.

MICHEL, Johann. Podemos falar de uma política do esquecimento? Revista Memória em Rede, Pelotas, v. 2, n. 3, ago.-nov. 2010.

MORAIS, Deyvid Santos. Vidas contadas: as biografias nos obituários de um jornal local. Dissertação (Mestrado em Sociologia) – Faculdade de Ciências Sociais da Universidade Federal de Goiás, Goiânia, 2017.

NOVAES, Allan. Consolo escatológico: cemitérios, morte e porvir em relatos e obituários adventistas durante a Gripe Espanhola (1918-1920). In Revista Brasileira de História das Religiões, v. 14, n. 40, p. 37-58, abr. 2021.

NOVAES, Allan Macedo de; MARCELINO, Marcio Adriano Tonete. Legados exemplares: a narrativa sobre a vida e as virtudes nas notas de falecimento da “Revista Adventista”. In Revista NUPEM, Campo Mourão, v. 14, n. 32, p.220-236, maio/ago. 2022.

ROUSSO, Henry. La hantise du passé. Entretien avec Philippe Petit, les Editions. Textuel, 1998.

SANTANA, Fabíola de Jesus Soares. A retórica fúnebre: uma abordagem histórico-discursiva de epitáfios, obituários e memoriais virtuais. Tese (Doutorado em Linguística) – Programa de Pós-graduação em Letras da Universidade Federal de Pernambuco, Recife, 2011.

SERVA, Leão (org.). Um dia, uma vida: seleção de obituários da Folha de S.Paulo. São Paulo: Três Estrelas, 2015.

STARCK, Nigel. Writes of passage: a comparative study of newspaper obituary practive in Australia, Britain and the United States. Adelaide: Flinders University, 2004.

SUZUKI JR., Matinas (org.). O livro das vidas: obituários do New York Times. São Paulo: Companhia das Letras, 2008.

VIEIRA, Willian. O obituário contemporâneo nos jornais e nas coletâneas: uma discussão sobre gênero textual e sociedade. Dissertação (Mestrado em Estudos Culturais) – Escola de Artes, Ciências e Humanidades da Universidade de São Paulo, São Paulo, 2014.

_______. Obituário ontem e hoje: do biográfico fast food a uma “literatura de jornal”. Ilha do Desterro, v. 70, n. 1, jan./abr. 2017, p. 143-159.

Creative Commons License
Este trabalho está licenciado sob uma licença Creative Commons Attribution 4.0 International License.

Copyright (c) 2023 Marcio Adriano Tonete Marcelino, Allan Macedo de Novaes

Downloads

Não há dados estatísticos.