Avaliação do conhecimento materno sobre introdução de alimentos
Acesso Restrito PDF

Palavras-chave

Métodos de alimentação
Alimentos
Alimentação infantil
Nutrição do lactente
Fenômenos fisiológicos da nutrição infantil

Como Citar

Domingos, E., Teles, K., & Zunta, R. (2023). Avaliação do conhecimento materno sobre introdução de alimentos. Lifestyle Journal, 10(00), e1575. https://doi.org/10.19141/2237-3756.lifestyle.v10.n00.pe1575

Resumo

Objetivo: Avaliar o conhecimento das mães de crianças até dois anos sobre como e quando iniciar a introdução de alimentos sólidos.

Método: estudo de campo quantitativo, com foco descritivo. Os dados foram coletados através de um  questionário online  divulgado através  das redes  sociais, atingindo  no total 43 mães. A coleta ocorreu entre setembro e novembro de 2022.

Resultados: as mães consideram que o período ideal para a introduzir alimentos é a partir dos 6  meses (93%), a introdução precoce de alimentos  pode causar problemas intestinais (65,1%), os primeiros alimentos a serem ofertados são frutas e legumes (95,3%), e a melhor forma de ofertar alimentos são todos juntos no mesmo prato sem misturar (88,4%).

Conclusão: os resultados mostram que as mães possuem conhecimento em relação  ao período de introdução de alimentos. O conhecimento é fundamental  para  que a prática ocorra de  forma  correta, contudo, existem  diversos  fatores associados a boa prática.

https://doi.org/10.19141/2237-3756.lifestyle.v10.n00.pe1575
Acesso Restrito PDF

Referências

ALMEIDA, L.M.N et al. Influência do retorno ao trabalho no aleitamento materno de trabalhadoras da enfermagem. Esc Anna Nery 2022, ed20210183. DOI: https://doi.org/10.1590/2177-9465-EAN-2021-0183

ARANTES, A.L.A et al. Método Baby – Led Weaning (BLW) no contexto da alimentação complementar: uma revisão. Rev Paul Pediatr. 36 (3): 353-363, 2018. DOI: https://dx.doi.org/10.1590/1984-0462/;2018;36300001

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Atenção Básica. Saúde da Criança: nutrição infantil, aleitamento materno e alimentação complementar. CADERNOS DE ATENÇÃO BÁSICA. Brasília: Ed. Ministério da Saúde, 2009.

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Atenção Básica . Saúde da Criança: nutrição infantil, aleitamento materno e alimentação complementar. CADERNOS DE ATENÇÃO BÁSICA. Brasília: Ed. Ministério da Saúde, 2015.

DU T.G. et al: Effect of a voidance on peanut allergy after early peanut consumption. N Engl J Med 374:1435–1443, 2016. doi: https://doi.org/10.1056/NEJMoa1514209

DU T.G. et al: Randomized trial of peanut consumption in infants a trisk for peanut allergy. N Engl J Med 372:803–813, 2015. doi: https://doi.org/10.1056/NEJMoa1414850

GREER F.R. et al. American Academy of Pediatrics Committee on Nutrition; American Academy of Pediatrics Section on Allergy and Immunology: Effectsofearlynutritionalinterventionsonthedevelopmentofatopicdisease in infants and children: The role of maternal dietary restriction, breastfeeding, timing of introduction of complementary foods, and hydrolyzed formulas. Pediatrics 121:183–191, 2008. doi: https://doi.org/10.1542/peds.2007-3022

MELO, N.K.L. et al. Aspectos Influenciadores da Introdução Alimentar Infantil. Distúrb Comun, São Paulo, 33(1): 14-24, março, 2021. DOI: https://doi.org/10.23925/2176- 2724.2021v33i1p14-24

MOREIRA, J.C. et al. Introdução da alimentação complementar no primeiro ano de vida: investigação sobre o conhecimento materno. Brazilian Journal of Health Review, Curitiba, v.4, n.3, p. 13886-13902 mar./apr. 2021. DOI: https://doi.org10.34119/bjhrv4n3-326

MURARI, C.P.C. et al. Introdução precoce da alimentação complementar infantil: comparando mães adolescentes e adultas. Acta Paul Enferm. 2021;34:eAPE01011. DOI: http://dx.doi.org/10.37689/actaape/2021AO01011

NAZARETH, M.T. et al. Baby-Led Weaning: What Role Does It Play in Obesity Risk during the First Years? A Systematic Review. Nutrients 2021, 13, 1009. DOI: https://doi.org/10.3390/nu13031009

NUZZI G, et al. The weaning practices: A new challenge for pediatricians? Pediatr Allergy Immunol. 2022;33(Suppl.27):44–46. DOI: https://doi.org/10.1111/pai.13627

PIZZATTO, P. et al. Conhecimento materno sobre alimentação infantil em São Luís, Maranhão, Brasil. Rev. Bras. Saúde Mater. Infant., Recife, 20 (1): 181-191 jan-mar., 2020. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/180693042020000100010

PERKIN M.R. et al: Randomized trial of introduction of allergenic foods in breast- fedinfants. N Engl J Med 374:1733–1743, 2016. doi: https://doi.org/10.1056/NEJMoa1514210

PINHEIRO, J.M.F. et al. Prevalência da oferta de complemento alimentar para o recém- nascido. Rev. Bras. Saúde Mater. Infant., Recife, 21 (3): 879-888 jul-set., 2021. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/180693042021000300008

Sociedade Brasileira de Pediatria. Guia prático de alimentação da criança de 0 – 5 anos. Departamentos Científicos de Nutrologia e Pediatria Ambulatorial. SBP, 2022.

TOGIAS A. et al: Addend umguide lines for the prevention of peanut allergy in the United States: Report of the National Institute of Allergy and Infectious Diseases–sponsored expert panel. J Allergy Clin Immunol 139(1):29–44, 2017. doi: https://doi.org/10.1016/j.jaci.2016.10.010

TORQUATO, I.M.B et al. Padrão do aleitamento materno de crianças. Rev enferm UFPE online., Recife, 12(10):2514-21, out., 2018. DOI: https://doi.org/10.5205/19818963v12i10a237050p2514

Creative Commons License
Este trabalho está licenciado sob uma licença Creative Commons Attribution 4.0 International License.

Copyright (c) 2024 Ellen Domingos, Keren Teles, Raquel Zunta

Downloads

Não há dados estatísticos.